O universo é multi-dimensional no novo clipe do Saturndust

“Negative-Parallel Dimensional”, do álbum 'RLC' (2017), combina cenas do espaço sob uma trilha metal cósmica-psicodélica.

|
24 julho 2017, 1:00pm

Imagens aleatórias extraídas de materiais de interesse dos músicos do Saturndust tecem o novo clipe da banda, "Negative-Parallel Dimensional". Nele, o diretor Rodrigo Mello costura cenas da possível tempestade-hexágonal no topo de Saturno, trechos de documentários da NASA, sequência de filmes, entre outras. A faixa integra o mais recente álbum, RLC, lançado em abril deste ano, e sua temática reflete sobre dimensões paralelas e a nossa incapacidade de provar a sua existência, segundo Felipe Dalam (guitarra, voz, synths): "Percepções básicas mentais me fazem questionar isso a partir de diversos pontos de vista. É a minha favorita das mais densas. Foi a última do álbum que escrevi, te transporta a um paralelo desolado, dividida em partes distintas que se completam e formam uma experiência."

A pira com o espaço e o planeta Saturno vem do fato de que o Felipe Dalam já estudou muito astronomia diletantemente. "Trata-se de um planeta do qual temos diversas informações, me refiro principalmente à sonda Cassini", declara. "Ele é o destino de diversas histórias clássicas do sci-fi, e toda a composição do planeta é magnífica, inclusas as luas, como Enceladus e seu oceano abaixo da superfície." E arremata: "Somos Saturno, o 'dust' são os asteroides da vida, que entram, se dissipam, nos orbitam e formam os anéis que compõem quem somos."

O trio de metal cósmico psicodélico, que conta ainda com Guilherme Cabral no baixo e Douglas Oliveira na bateria, no momento está focado nos próximos shows. Depois de tocar no festival Psycho Las Vegas em agosto, dará continuidade às composições do próximo trabalho. "Estamos experimentando mais, como visto no RLC, e isso pretende se estender", garante Felipe. "Compôr sem a necessidade de um gênero ou fórmula, expressar a sua personalidade e o que realmente acontece com você." A participação no festival em Nevada vem somar a outros feitos importantes na trajetória recente da banda, como dividir palco com o Samsara Blues Experiment e o Belzebong. Além do quê, no final do ano eles abrem para os mestres do Neurosis.