Baixe e Escute “Eu Já Venci”, Nova Música Dedo na Ferida do Lupe de Lupe

A banda mineira lança mais uma canção para provar que não tem medo de falar o que pensa (como, por exemplo, se achar o melhor grupo de rock do Brasil).

|
04 agosto 2014, 7:13pm



O Lupe de Lupe é polêmico. Desde que lançou a música “Há Algo de Podre no Reino de Minas Gerais”, o quarteto formado por Cícero Nogueira, Gustavo Scholz, Renan Benini e Vitor Brauer vem curtindo meter o dedo na ferida alheia, e desta vez não podia ser diferente. Em “Eu Já Venci”, a banda constrói uma estrutura rítmica bem estranha e fala sobre a esquerda festiva, Belo Horizonte e o fato de que, para eles, o Lupe de Lupe é o melhor grupo de rock do país.

Quem acompanha o trabalho deles desde o lançamento de Recreio, em 2011, pode estranhar a forma como a música é levada, mas o guitarrista e vocalista Vitor Brauer explica o porquê disso. “A banda não quer ser repetitiva, porque é chato pra gente ficar cantando as mesmas coisas, tocando as mesmas guitarras e etc. A gente sempre vai tentar empurrar as barreiras, sempre. Por isso também essa métrica estranha e essa estrutura rítmica louca nessa música. A gente tá sempre evoluindo, mesmo que a nossa ‘luta’ continue a mesma”, diz.

E por que voltar com uma canção provocativa depois de algum tempo, mesmo que ela seja o single do próximo disco? O Vitor acha que estava na hora. “Porque ninguém põe o dedo na ferida, porque ninguém tem coragem, porque as pessoas acham que vai ser repetitivo, porque a gente quer, porque a gente achou que era a hora desse cavalo mostrar quantos dentes tortos e magníficos tem”.



Para quem se pergunta se mudou alguma coisa daquela época de “Há Algo de Podre no Reino de Minas Gerais” para hoje no estado, sinto informar que não. Pelo menos é a opinião do guitarrista. “Uma coisa aqui ou ali, coisas pequenas que podem crescer no futuro, pequenas influências em bandas ou em pensamentos de pessoas. Mas o espírito belo-horizontino-tradicional-educado-certinho-sensível geral, que existe desde A Cidade do Tédio de Carlos Drummond de Andrade, escrito há cem anos, nunca vai mudar. Ainda temos amigos próximos que são belo-horizontinos desse jeito e não entendem que são. Amigos que não conseguem entender o porquê dessa nossa inquietação, desse nosso espírito de porco, dessa vontade de dar um tiro no próprio pé, dessa paixão que é botar fogo nas coisas só pelo prazer de ver aquilo pegar fogo”.

E sim, para o Lupe de Lupe, eles são a melhor banda de rock do país. “As pessoas acham o maior absurdo a gente se achar a melhor banda de rock do país, quando tudo que todo mundo queria era achar que a banda deles fosse a melhor do país. Mas por que as bandas são ruins por todo o país? Por que a sua banda é ruim? A nossa música tem de atingir as pessoas nesse sentido, no sentido de ter confiança em si mesmo, apesar de todas as adversidades, no sentido de ser você mesmo e não se importar, no sentido de fazer o que você gosta sem tentar se moldar com o que é considerado bom ou ruim, no sentido de viver sem medo de viver. Só assim que as músicas serão melhores, as pessoas serão melhores, e assim em diante, até, quem sabe um dia, as bandas serem melhores”.

Por sinal, quem é ou está no Rio de Janeiro, pode ver a banda no palco da Comuna neste sábado (9) ao lado da mineira Paola Rodrigues, integrante do movimento Geração Perdida. O show começa às 20h e custa R$ 10. Saiba mais clicando aqui.

Para baixar “Eu Já Venci”, clique aqui (botão direito, salvar como).

Tá pouco de Lupe de Lupe?

Baixe 'Distância’, EP do Lupe de Lupe