O Ourang Medan é a resistência sludge do Rio Grande do Norte

Trocamos uma ideia com os criadores de ‘Lords of Eternal Seas’, uma massuda e arrastada catarse metálica.

|
12 agosto 2016, 12:00pm


Foto por: Breno Xavier

Os metaleiros do Ourang Medan soltaram nesta semana Lords of Eternal Seas, seu primeiro registro oficial. Formada em Natal, Rio Grande do Norte, em 2013, a banda disponibilizou três sons. Um deles, "Horrendous Maritime Phenomena (Or the Case of the Ship That Never Was)", vocês já ouviram aqui. Os outros dois, com pouco mais de dez minutos de duração, são fruto do mesmo peso sludge/doom. Uma sonzeira massuda, arrastada e com vocal de monstro. Segundo os integrantes, eles já estavam com outras composições na manga quando foram gravar estas, mas preferiram deixar para lapidá-las em outro momento.

A delonga na conclusão do trabalho de estreia, no entanto, pouco tem a ver com o perfeccionismo — ainda que a obra tenha resultado num produto de cristalina qualidade. "Na verdade, é inteiramente fruto de inconsequência proposital com comprometimento temporal. Porém, temos um espaço-tempo nosso em se tratando de banda, seguindo o velho ditado: tarda, mas não falha", responderam Don Jon (vocal, percussão) e Magno Zamamba (bateria) por escrito. Eles adiantam que existem mais duas faixas prontas, as quais se fundirão num split em k7 com os paulistanos do Kroni.

As artes e letras do Ourang Medan absorvem influências históricas e de culturas antigas e pouco exploradas, assim como seus modos ritualísticos. "Mas também adoramos os velhos clichês, como qualquer mortal. Sendo assim o ocultismo, o horror e temas congêneres estão presentes", ressaltam os membros da banda. O doom metal em Natal sempre foi entoado pelas suas ramificações mais fáceis de se digerir, como o gothic e o epic doom. Por isso, é legal ver expoentes como o Ourang Medan apostando em diferentes abordagens.

O Ourang Medan está no Facebook e no Bandcamp

Siga o Noisey nas redes: Facebook | Twitter | Instagram