Makalister fala sobre sexólogas, Kanye West e Don L em sua nova mixtape

O MC catarinense perdeu o emprego mas entrou de cabeça no rap game com a Laura Muller Mixtape, um dos ótimos trabalhos do trap brasileiro deste ano.

|
04 outubro 2016, 1:09pm

Makalister "não tem dom pra aturar patrão e nem pra ficar segurando disco" e chegou foda com o segundo lançamento em menos de um mês. Depois do álbum visual Synedoche, lançado no final de agosto com instrumentais de sua autoria e imagens de Rafael de Toledo, o rapper e beatmaker catarinense soltou a Laura Muller Mixtape, registro de 13 faixas que eleva (mais uma vez) o nível de seu trampo.  

Sem emprego fixo desde agosto, Makalister tirou esses últimos quatro meses do ano para se dedicar aos corres do rap. "Passei uma semana em Curitiba, quando fui tocar num festival de rap faça-você-mesmo, e lá eu produzi o Synedoche. Eu vivo um dia por vez e não tô mais afim de perder tempo segurando músicas", decreta. A maioria das vozes da Laura Muller foram gravadas em seu celular mesmo e depois ele jogou os registros na mão do seu parceiro Goss, que fez um trampo fino na mixagem. "Vejo vários trabalhos de rap por aí super bem produzidos, ótimos clipes, estúdios grandes... Mas, às vezes, o que mais me toca é uma guia de Whatsapp bem barulhenta. Eu gosto de música suja, gravei esse trabalho no meu quarto e o Goss mixou na sala", conta Makalister.

"A Laura Muller Mixtape surgiu de um impulso. Numa troca de ideias no rolê alguém falou algo dela e eu viajei: 'porra, essa mulher está há um tempão na televisão falando sobre sexo'. Gosto dela, gosto da voz dela e da forma que ela fala", revela o jovem Maka. Sexo/mulheres são mesmo o principal papo nas rimas que compõem esse lançamento, assim como o clima trap/experimental domina seus beats tortos, principalmente em faixas como "Eu Torci por Acidentes", "Doces Bárbaros" e "Garotas Curtem Don L". Inclusive, nessa última Makalister surpreende novamente. Quais MCs você conhece que têm coragem de abrir mão do ego inerente ao rap e citar um colega contemporâneo que não seja da mesma banca afirmando que garotas o curtem? Eu não conheço nenhum. "Laura Muller Mixtape é uma homenagem. Eu amo ouvir música e exalto os músicos que transformam nossos dias. Faço música boa em homenagem às músicas boas que ouvi", confessa.

Uma outra referência clara e assumida nessa mix é o The Life of Pablo, o polêmico e mais recente disco de Kanye West. Em "Father Stretch my Hands pt 2", Kanye rima em cima de uma música do Desiigner. Makalister fez o contrário na faixa 8. "Enquanto esse som estava sendo mixado eu me liguei que o Bon Vivant ia curtir e pensei em samplear alguma voz dele. O Goss pegou um verso dele de um outro som e colocou na base. Acabou que o Bon Vivant só ficou sabendo que ele participaria da mixtape na hora mesmo, hahaha."

Esse é o volume 1 da trilogia Sexo a Três. Camila Pitanga e Fernanda Takai são as musas escolhidas para batizar os próximos lançamentos. "Camila Pitanga Mixtape eu imagino que será sobre o flerte sexo x morte e inúmeras situações em que a morte me beijou o rosto e beijou a boca de pessoas próximas. Fernanda Takai Mixtape é segredo ainda, tá longe.", finaliza.

Ouça Laura Muller Mixtape no player abaixo, ou baixe no link.